Imágenes de páginas
PDF
EPUB

nente socio de merito, o sr. Daniel Augusto da Silva, geometra de fecundissimo talento, provado em numerosas composições na analyse transcendente e na mechanica, espirito encyclopedico e illuminado, a quem eram egualmente familiares as sciencias no que teem de mais severo, e as lettras no que teem de mais ameno; o dr. Francisco Antonio Barral, cujo nome anda vinculado a varias memorias e obras medicas de valor apreciavel; o socio effectivo, barão de Castello de Paiva, cujos trabalhos botanicos e zoologicos o fizeram conhecido como um dos bons cultores das sciencias naturaes; e os socios correspondentes, Felix de Brito Capello, illustrado por valiosos trabalhos zoologicos, estampados nas nossas collecções e o dr. Francisco Martins Pulido, cuja memoria está vinculada á caridosa instituição do hospital de alienados em Lisboa.

Na segunda classe, lamenta ainda a Academia, como se fôra perda ainda recente, que para sempre se apagasse um dos mais altos espiritos, que hajam ennobrecido as lettras patrias, o escriptor eminente e profundissimo, que quasi instituiu em Portugal os estudos criticos da historia portugueza, e como poeta e novellista, alcançou justa e brilhante reputação. Todos adivinham desde já que fallamos do socio de merito, e antigo vice-presidente da Academia, Alexandre Herculano, um dos mais celebrados cooperadores da revolução litteraria em Portugal.

Perdeu a segunda classe no socio de merito, o sr. Rodrigo José de Lima Felner, um dos mais eruditos e zelosos indagadores da litteratura, da linguagem, e da historia nacional, cujos meritos, se outros documentos lhes faltassem, sobraria a attestar a publicação das Lendas da India.

Lamenta egualmente a Academia a perda do socio emerito o sr. Antonio Gil, distincto jurisconsulto; do socio effectivo o sr. Antonio Augusto Teixeira de Vasconcellos, cuja intelligencia cultivada no estudo das boas lettras deixou em seus escriptos litterarios, numerosos documentos de engenho e illustração..

Da lista dos socios correspondentes desappareceram com grande sentimento da Academia, os nomes dos srs. Alberto Antonio de Moraes Carvalho, illustrado jurisperito, José Feliciano, de Castilho, que honrou com o seu talento e as suas obras um appellido, quasi feito synonymo de poeta e escriptor; Dr. Motta Veiga, theologo erudito; Joaquim Heliodoro da Cunha Rivara, conhecido na litteratura contemporanea como um dos mais assiduos investigadores da litteratura nacional e das coisas portuguezas no Oriente; marquez de Sousa Holstein, escriptor de notaveis talentos e de varia e solida erudição; José Gomes Monteiro, benemerito cultor da philologia patria.

Entre os socios correspondentes extrangeiros temos a deplorar que já não possam exparzir a brilhante luz do entendimento, os srs. Adolfo Thiers, cujo nome é por si só o maximo elogio, Garcin de Tassy, o celebrado orientalista; visconde de Porto Seguro (Francisco Adolfo de Varnbagen), o incansavel investigador da historia do Brasil; o professor Joseph Henry, H. von Holsbeeck; e o barão de S. Angelo (Manuel de Araujo Porto-Alegre), que tornou o seu nome illustre e conhecido nas artes, na erudição e na poesia.

Dos associados provinciaes temos a lastimar o sr. Antonio da Costa Ferreira Borges.

Eis ahi, senhores, havemos delineado em traços resumidos quaes foram os successos da Academia desde a ultima sessão anniversaria. Não esteve ociosa n'este espaço a nossa corporação. Esperemos, que celebrando a memoria da sua primeira fundação, e o mais illustre nome portuguez, estas solemnes recordações sirvam a renovar no espirito da Academia as difficeis, mas honrosas obrigações, que n'esta occasião lhe impendem mais imperiosas e sagradas.

Recordando-se dos academicos, seus antecessores no empenho de adiantar a cultura intellectual da nossa terra, lembrar-lhe-ha que o seu dever é envidar os seus esforços para que se adiante e prosiga activamente o que elles souberam iniciar. Associando-se å nação para commemorar o cantor immortal das glorias portuguezas, n'elle verá o nobre exemplo dos mais altos sentimentos, que hoje vivem irmanados, o amor da patria, que é o dever do cidadão, e o amor da humanidade, que é o vinculo dos homens na fecunda e expansiva civilisação dos nossos dias. Não se repetem boje os sublimes vôos do estro do Camões, cantando as emprezas sobrehumanas do heroico Portugal, quando alarga até às mais apartadas regiões os seus dominios materiaes. Mas é possivel, necessaria a indefessa aspiração para a sciencia, que dilata os horizontes ao imperio da intelligencia e da razão. A epopea é a formosa idealidade no passado. Cultivemos agora a civilisação, que é no futuro das nações a luminosa realidade.

PROGRAMMA

DA

ACADEMIA BEAL DAS SCIENCIAS DE LISBOA

ANNUNCIADO NA SESSÃO PUBLICA DE 9 DE JUNHO DE 1880

PARA O ANNO DE 1882

PRIMEIRA CLASSE

Premio offerecido por Sua Magestade El-rei D. Luiz (réis 300$000).

Estudo acerca da cultura dos bosques e da sua influencia sobre o clima e a agricultura.

EM SCIENCIAS MATHEMATICAS

· I. Apresentar á Academia um trabalho sobre o movimento dos fluidos.

II. Methodo mais conveniente para determinar as coordenadas geographicas, com exclusão dos processos empregados em a navegação.

III. Apreciar os escriptos do insigne cosmographo Pedro Nunes, e definir a influencia que, pela originalidade de algumas das suas doutrinas ou por outras circumstancias, possam ter exercido nos progressos das sciencias mathematicas.

IV. Qual será o methor systema de obras a estabelecer nas margens do Tejo, a fim de satisfazer simultaneamente ás condições de salubridade, irrigação e segurança das propriedades adjacentes?

EM SCIENCIAS PHYSICAS

I. Estudo da capacidade calorifica dos atomos nos corpos simples.

II. Construcção da pilha de effeito mais constante e mais propria para ser applicada á telegraphia.

III. Estudo sobre a synthese dos alkaloides organicos. IV. Estudo chimico sobre as principaes aguas sulfureas e alcalinas de Portugal.

EM SCIENCIAS HISTORICO-NATURAES

I. Estudo estatistico e agrologico de um concelho ou districto de Portugal.

II. Descripção ampelographica das principaes castas de uvas portuguezas, e melhor processo para o fabrico de vinhos genuinos.

III. Um ensaio monographico relativo á fauna de Portugal, o qual comprehenda ou as especies de uma familia zoologica ou as de uma localidade ou região do nosso paiz.

IV. Apreciação dos trabalhos de exploração historico-natural do dr. Alexandre Rodrigues Ferreira no Amazonas e seus affluentes.

EM SCIENCIAS MEDICAS

I. Determinar as alterações da saude e as doenças devidas ás principaes industrias do paiz, e indicar os meios efficazes de as prevenir.

II. Fazer o estudo critico do systema de esgoto e saneamento da capital, que satisfaça a todas as condições prescriptas pela hygiene, apresentando o modo da sua realisação.

III. Estudar a mortalidade de Lisboa e as suas causas, indicando os meios de as attenuar.

« AnteriorContinuar »